Saude na idade: Preparação para Aposentadoria

Sabemos que uma parte dos problemas de saúde que podemos ter na velhice tem origem genética, outra depende das exposições ambientais que nosso organismo venha a sofrer e uma terceira parte depende do nosso estilo de vida, isto é, das nossas escolhas. E é justamente nesta última que nos cabe intervir.

Saude na idade

A aposentadoria é um período de fruição do que foi acumulado ao longo do tempo. Isto não quer dizer necessariamente o fim das atividades laborativas, mas uma rotina com mais liberdade. Envolve questões tanto financeiras como psicológicas, tendo em mente uma longevidade maior, em virtude dos avanços da medicina e da qualidade de vida.

Bens de uso: são itens destinados ao uso próprio ou familiar, como carro, apartamento ou casa, imóveis de veraneio. São bens que geram despesas e, quanto maior o patrimônio de uso, maior serão as despesas fixas. Devem ser avaliados ante seu custo/benefício, cogitando adequações se necessário.

Bens de renda: são bens móveis ou imóveis que geram renda, como por exemplo salas comerciais para alugar e veículos de carga. É importante considerar fatores como vacância, liquidez, despesas de manutenção, depreciações e outros. São várias as formas de avaliar se a renda líquida do bem está adequada, como por exemplo, média de mercado, oportunidades e expectativas de valorização. Uma análise mais prática pode utilizar como parâmetro de comparação uma taxa livre de risco, como por exemplo CDI ou Selic, calculada sobre o valor do bem, para ver se o investimento compensa.

Rendas: relacionar as fontes de renda, como participação societária no escritório e outras empresas, aluguéis, rendimentos de investimentos, previdência privada e previdência social. São as entradas que garantirão a vida no futuro sem atividade laborativa. O ideal é que haja investimentos que, de acordo com a fórmula da Perpetuidade, comumente utilizada em cálculo do valor ideal para saldo acumulado em previdência, permita retiradas de rendimentos equivalentes às necessidades financeiras.

Projetos de vida: é importante mensurar os projetos para o futuro, se há expectativa de viagens, investimentos, ações de voluntariado etc. Esses projetos auxiliam no bem-estar, construção do legado e necessitam de programação financeira, pois consomem recursos na sua execução.

Resumindo, para um bom planejamento financeiro do novo ciclo de vida, é importante fazer as contas da renda desejada, do patrimônio ideal para alcançá-la, assim como do tempo e esforço requeridos para atingir o objetivo, considerando a expectativa de juros e inflação do período.